sexta-feira, 29 de março de 2013

UMA VIVA ESPERANÇA. - PARTE DOIS: ESPERE UM MINUTO, A ESPERANÇA MORREU?!?

Texto: Alexfábio Custódio

Arte: Juliana Camargo

Esse artigo faz parte da trilogia “UMA VIVA ESPERANÇA.” Para uma compreensão plena, eu recomendo que você leia a primeira parte: AFINAL, O QUE É ESPERANÇA?


Eu nunca esperaria que essa história terminasse assim! Não dessa forma, não com Ele!

Eu me lembro do dia em que tudo começou, naquela época todos estávamos impressionados com a coragem e autoridade de João Batista. Muitos começaram a crer que aquele arauto da justiça seria o messias prometido. Todavia, João logo explicou que o esperado das nações ainda estava por chegar.

João era um pregador impressionante, não me lembro de alguém que conseguisse interrompê-lo. Porém, naquela tarde no rio Jordão, o profeta interrompeu seu sermão para anunciar a chegada Dele:


- Eis ai o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!

Eu estava lá quando João O batizou. Eu estava lá no dia em que Ele começou a anunciar o evangelho da paz. Desde o início meu irmão Tiago e eu fomos seus discípulos.

Quando Ele transformou a água em vinho naquele casamento, nós vimos a sua glória e acreditamos na sua mensagem.

Daí por diante se sucedeu uma variedade incrível de milagres:

Eu vi leprosos sendo purificados, cegos tendo a visão restaurada, mudos falando livremente, surdos ouvindo, paralíticos caminhando e saltando, demônios sendo expulsos com apenas uma palavra, pães e peixes sendo multiplicados para saciar multidões. Nada era impossível para Ele, nós o vimos caminhando sobre o mar, acalmando tempestades, ressuscitando a mortos!

Essas diversas manifestações já seriam provas suficientes de sua missão messiânica. Entretanto, havia muito mais, as suas palavras amoleciam corações de pedra. A cada sermão podíamos entender sobre o grande amor de Deus e a sua vontade para as nossas vidas. Ele ensinava às multidões com uma paciência incrível, as suas parábolas nos alegravam, até quando repreendidos sentíamos um zelo por nossas vidas.

Muitos tentaram refutá-lo, fariseus, saduceus, herodianos. Tudo em vão, até mesmo Nicodemos, um dos mais influentes no sinédrio, ficou sem argumentos diante do mestre. O próximo passo seria a calúnia, Ele foi chamado de beberrão, glutão, acusado de blasfemo, tentaram incriminá-lo contra a lei romana, o chamaram até de endemoniado!

Nada disso o afetou, e nem lhe impediu de distribuir amor por onde passasse. Não havia pessoa desprezível o suficiente para não merecer o seu carinho. Publicanos, pecadores, samaritanos, romanos, gregos, prostitutas, adúlteros, leprosos, todos foram alvos de seu grande amor e compaixão.

Para nós, os seus discípulos, Ele é mais que um mestre, Ele é um irmão mais velho, um amigo. E depois daquela ocasião em que Ele se transfigurou, todas as dúvidas se dissiparam e Ele se tornou nosso Deus e Senhor, nosso Salvador, nossa esperança.

Por isso custo a crer na prisão, nos açoites, naquela horrível coroa de espinhos. Fechei os olhos quando o pregaram na cruz, era demais para mim. Naquela cruz está o homem mais inocente que já pisou nessa terra, e ianda tinha que lidar com as provocações:

- Ajudou a tantos, se salve agora!

- Você não é o rei dos judeus?

- Se és o messias, desça dessa cruz!

Como eu orei para que Ele descesse, mas não aconteceu. Em seu martírio Ele só continuou distribuindo perdões. Já são quase três horas da tarde, porém, desde o meio dia o céu está escuro como a mais densa noite de tempestade.

- João.

Ele está me chamando? Olho mais uma vez para a terrível cena da cruz. Sim, Ele está falando comigo!

- João, eis aí a sua mãe, cuide dela para mim.

Eu queria poder responder, dizer alguma coisa, mas as palavras estão entaladas em meu pescoço. Abraço Maria e, com o rosto inundado de lágrimas, ouço as suas últimas palavras:

- ESTÁ CONSUMADO, PAI EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO.

Ele expirou! Ele está morto! Aquele cordeiro de Deus, imaculado e inocente, morto!

A esperança é a última que morre? Parece que já não faz tanto sentido assim.

Conclui nas primeiras horas do Domingo (31/03/2013)... 
Nos ajude com o seu comentário. Entre em contato conosco:

 


2 comentários:

Ramão Garcia disse...

Belo texto Alexfábio..., muito bom!
Parabéns e uma Feliz Páscoa.

Abraço
Ramão

Alexfábio Silva disse...

Valeu bro.

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.