sábado, 23 de março de 2013

UMA VIVA ESPERANÇA. - PARTE UM: AFINAL, O QUE É ESPERANÇA?

Texto: Alexfábio Custódio

Arte: Juliana Camargo

“A esperança é a última que morre.” Eu creio que todos os amigos leitores conhecem esse ditado popular. Vamos analisar essa sentença sobre a ótica da bíblia sagrada, comecemos definindo “esperança”.

O dicionário Aurélio define esperança como:

1. Ato de esperar o que se deseja.
2. Expectativa, espera.
3. Fé, confiança em conseguir o que se deseja.
4. Aquilo que se espera ou deseja.

Podemos dizer que esperança é uma expectativa em relação a fatos ou acontecimentos futuros.

Vamos ver as palavras usadas na bíblia para expressar esperança:


No antigo testamento temos a palavra hebraica tiqvah, ela aparece trinta e três vezes nas escrituras. Ela deriva do verbo qavah, que significa “esperar por”. Tiqvah também aparece traduzida como linha ou cordão, Raabe foi orientada a pendurar uma tiqvah escarlate em sua janela (Josué 2. 17 e 18).

Veja que analogia interessante: A prostituta Raabe que havia dado refúgio aos espias do povo hebreu teve toda a sua família poupada. Observe alguns detalhes da conversa dela com os espiões hebreus:

“Bem sei que o SENHOR vos deu esta terra, e que o pavor de vós caiu sobre nós, e que todos os moradores da terra estão desmaiados diante de vós. Porque temos ouvido que o SENHOR secou as águas do mar Vermelho diante de vós, quando saíeis do Egito, e o que fizestes aos dois reis dos amorreus, a Seom e a Ogue, que estavam dalém do Jordão, os quais destruístes. Ouvindo isso, desmaiou o nosso coração, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa presença; porque o SENHOR, vosso Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra. Agora, pois, jurai-me, vos peço, pelo SENHOR, pois que vos fiz beneficência, que vós também fareis beneficência à casa de meu pai, e dai-me um sinal certo, de que dareis a vida a meu pai e a minha mãe, como também a meus irmãos e a minhas irmãs, com tudo o que têm, e de que livrareis as nossas vidas da morte” (Josué 2. 9 a 13 / Grifo nosso).

O SENHOR vos deu esta terra”, os cananeus já conheciam as notícias sobre as maravilha que o Senhor havia feito ao povo Hebreu no Egito e na peregrinação pelo deserto.

E em ninguém mais há ânimo algum”, quando eles souberam que os hebreus estavam se preparando para invadir e conquistar a terra, houve uma grande desesperança no meio dos habitantes de Canaã.

O SENHOR, vosso Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra. Agora, pois, jurai-me, vos peço, pelo SENHOR”, Raabe reconheceu a grandeza de Deus, e a sua capacidade de proteger aqueles que Nele confiam. Ela não pensou duas vezes em escolher buscar auxílio e proteção em Deus.

Enquanto o povo de Jericó vivia dias de aflição e desespero, Raabe possuía uma esperança de uma nova vida cedida pelo grande amor de Deus.

Ainda na antiga aliança, aprendemos que é bem aventurado quem tem esperança em Deus (Salmo 146. 5), a expectativa do ímpio perece diante da justiça divina (Provérbios 10. 28), a palavra de Deus é o alicerce da confiança (Salmo 119. 116), milagres e maravilhas servirão de sinais para todos aqueles que crerem (Salmo 65. 5).

Jeremias é a melhor pessoa para nos guiar na transição para o novo testamento nesse assunto. O profeta das lágrimas vivia dias de apostasia e destruição, a descendência de Abraão parecia condenada a perecer desviada dos caminhos do Senhor. Em seu livro de lamentações ele deixa dois conselhos valiosos:

“Ponha a boca no pó; talvez assim haja esperança” (Lamentações 3. 29).

“Bom é ter esperança e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR” (Lamentações 3. 26).

No novo testamento encontramos a palavra grega elpis para representar algo mais do que uma expectativa otimista, ela transmite uma certeza inabalável. Veja alguns exemplos:

“E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Romanos 5.5); “Porque, em esperança, somos salvos” (Romanos 8. 24); “Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar” (2 Coríntios 3. 12); “Porque nós, pelo espírito da fé, aguardamos a esperança da justiça” (Gálatas 5.5).

O que aconteceu para transmitir tamanha certeza e ousadia? Confira:

“E o próprio nosso Senhor Jesus Cristo, e nosso Deus e Pai, que nos amou e em graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança” (2 Tessalonicenses 2. 16);  “Porque qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura, não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em sua vinda?” (1 Tessalonicenses 2. 19); “segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte” (Filipenses 1. 20).

O Senhor Jesus é a personificação da expectativa da antiga aliança, e a esperança no novo testamento.

Bom, até aqui definimos o que é esperança; fizemos a diferenciação entre esperança secular e a bíblica; e descobrimos a personificação da esperança, Jesus.

Porém, isso ainda não responde a questão: A esperança realmente é a última que morre?

Continua na sexta-feira (29/03/2013)



Nos ajude com o seu comentário. Entre em contato conosco:
 


0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.